Curando as dores, também, de nossas ancestrais.

Published by lea.beatriz on

Uma leitura astrológica do atual movimento que força a reflexão sobre o que somos, queremos e vivemos.

Ancestralidade femininaEstamos às vésperas do Samhain, data em que acessamos uma egrégora de contato com a morte, com os ciclos, com as sombras e com nossos antepassados. Nessa data o Sol está no signo de Escorpião, que tem essa energia de profundidade e nos abastece com a força necessária para o renascer. Além disso, neste ano de 2015, o Samhain é presenteado com um stellium formado por Júpiter, Vênus e Marte no signo de Virgem, signo muito relacionado aos ciclos, à saúde e ao fazer cotidiano. E, incrivelmente, estamos vendo um movimento em direção à cura de dores femininas que há tantos anos nos acompanham no dia a dia do ser mulher.

Hoje vivenciamos um crescimento na consciência sobre a violência sexual e um movimento que vem divulgando o quanto é comum as meninas sofrerem assédio, mas que, por não machucar o corpo, a sociedade já as ensina que “é melhor” esconder e “tentar” esquecer. E nesse momento estamos sendo fortes e conseguindo, através da exposição, apoio e força de nós mulheres, colocar para o mundo que queremos mudar isso, que isso não é pra ser escondido pois quem tem que se envergonhar é o agente e não a vítima. (Plutão em Capricórnio coloca em cheque o poder da hierarquia para que tudo se reconstrua de uma forma mais correta, e a quadratura em que se encontra com Urano em Áries traz essa energia de virar o jogo repentinamente).

Neste Samhain, estamos favorecidas pelo trígono do Sol com Netuno em Peixes, que permite que as barreiras se dissolvam e a divulgação aconteça, e trazendo o sentimento de que todas somos uma, de que todas estamos envolvidas nessa cultura e sociedade. O Sol em Escorpião nos permite acessar nossas profundezas e medos e nos abastecer com nossa própria força. E, na noite de Samhain (31 de outubro), seremos abençoadas com a Lua formando um triângulo de afinidades com Netuno e o Sol; Lua em Câncer, que traz a energia do acolhimento para todo esse movimento, além da possibilidade de uma cura conjunta de dores oriundas da nossa ancestralidade.

Cabe aqui citar a prova do ENEM, que, maravilhosamente, trouxe a juventude para refletir sobre o assunto do feminismo, que contribui para promover esse movimento de cura e resgate da sacralidade feminina e do respeito ao que é feminino.

Para aprofundar:
– Ler sobre 31 de outubro (Samhain)
– Ler sobre #primeiroassedio
– Ler sobre mulheres feministas


0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *